Paranaense cria pronuncia em português para marcas estrangeiras

sábado, 28 de setembro de 2013


Muitas vezes uma ideia criativa e inovadora vem de coisas simples, é esta a percepção que se tem ao olhar as artes produzidas pelo curitibano Gustavo Asth. Formado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Criação pela Lemon Portfólio. O jovem de 26 anos já passou pelas agências TheGetz Comunicação e Wow.
Ele é o criador do Tumbler#Comofala, a mídia utilizada para divulgar uma ideia que o redator teve de criar logotipos de marcas usando a pronúncia em português de marcas estrangeiras.
A inspiração surgiu ao notar a dificuldade que as pessoas tinham de falar de forma correta o nome de muitas marcas do exterior. “Uma vez ouvi em um bar o garçom dizer que só tinha rêiniken (Heineken), lembrei que estudei alemão para conseguir entender a pronúncia das palavras do idioma. Juntei a ideia do dicionário e algumas marcas e coloquei no ar, sem pretensão nenhuma, mas a brincadeira rendeu”, conta Asth.  

Em uma semana o publicitário teve mais de 35 mil acessos em seu Tumblr. “A  Halls já me pediu para compartilhar o post que eu fiz sobre eles, e já tenho uma lista de posts programados”.
Com o sucesso das criações e a demanda aumentando, o amigo Pedro Falcão, diretor de arte foi convidado para aumentar a equipe, ele deve compor e ajudar nas publicações.













Fonte: O Estadão

Quer perder até 10 Kg em 1 mês?

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Isso é possível segundo o endocrinologista Guilherme de Azevedo Ribeiro, escritor do livro “Cardápios Nota 10”. O livro apresenta dicas do quanto deve se comer - e o melhor, comendo de tudo.
Com essa dieta é possível comer pizza, chocolate e outras guloseimas, você só precisa contar as notas.
A dieta permite se sentir motivado e a continuar por não precisar mudar suas preferencias alimentares, com isso a pessoa não enjoa e desiste no meio.
O mais importante na dieta das notas é avaliar o valor calórico do alimento e a quantidade de notas permitida baseada na sua altura.
Até 1,60 metro: 500 notas
Entre 1,61 a 1,70metro: 550 notas
Entre 1,71 e 1,80 metro: 600 notas
Lembrando que aliar a mudança alimentar à exercícios físicos ajudam a eliminar os quilos de forma mais rápida.
Quando acontecer de ultrapassar o valor de notas permitidos, não se desespere e nada de abandonar a dieta –faça o possível para compensar no outro dia.


Monte o seu cardápio com os alimentos que mais gosta!

FRUTAS E LEGUMES
4 col. (sopa) de ervilhas ou palmito ou vagem ou beterraba = 15 notas
1 fatia grande de melão = 25
1 laranja média = 25
2 fatias de abacaxi = 25
1 pires (chá) de amoras = 25
1 pêssego grande = 25
1 fatia grande de melancia = 25

DOCES
1 col. (sopa) de geleia de fruta = 40
2 suspiros pequenos = 40
1 bola de sorvete de massa light = 40
1 brigadeiro pequeno = 50
1 barra (30 g) de chocolate ao leite = 100
1 quindim = 80
3 biscoitos de chocolates recheados = 100
1 fatia média de pudim de leite = 115
1 taça de pudim light = 60
  
LEITES E DERIVADOS
1 pote de iogurte de frutas light = 30
1 fatia grande de queijo minas = 60
1 fatia média de queijo mussarel = 60
1 copo (200 ml) de iogurte desnatado = 35
1 copo (200 ml) de iogurte tipo coalhada = 70

BEBIDAS
1 Yakult = 25
1 copo (200 ml) de cerveja ou chope = 45
1 copo (200 ml) de refrigerante normal = 40
1 achocolatado de caixinha = 105

LANCHES
1 cachorro-quente = 85
1 misto quente = 120
1 sanduíche natural com maionese light = 120
1 cheeseburger = 170

CARNES
2 col. (sopa) de atum conservado em água = 50
10 fatias de sashimi = 50
2 salsichas = 50
4 fatias de peito de peru = 50
1 bife médio de carne de boi (cortes magros) = 50
1 hambúrguer = 50
1 filé médio de frango = 50

PETISCOS
1 pires (café) de azeitonas verdes = 35
10 unidades de salgadinhos industrializados de pacote = 70
6 minipães de queijo = 85
1 prato (sobremesa) de batata frita = 90
1 pires (café) de amendoim torrado com sal = 105


A atriz Carolina faz a Dieta Nota 10 há mais de 10 anos, com 500 notas diárias a atriz emagrece e com 700 consegue manter o peso.
Segundo ela, há dias que come brigadeiro o dia inteiro e não engorda.

Exemplo do cardápio de Carolina

um dia com 500 notas
café da manhã (80 notas)
1 iogurte de frutas diet (30 notas)
4 fatias de peito de peru (50 notas)
almoço (120 notas)
1 filé médio de frango ( 50 notas)
2 colheres de sopa de arroz ( 35 notas)
2 colheres de sopa de feijão (35 notas)
couve-flor e brócolis no vapor (à vontade)
lanche (50 notas)
1 quiche pequena de legumes ( 50 notas)
chá diet (à vontade)
jantar (200 notas)
2 batatas médias cozidas (70 notas)
4 colheres de sopa de atum ( 100 notas)
salada de agrião com tomate ( à vontade)
4 colheres de sopa de palmito (15 notas)
4 colheres de sopa de vagem cozida (15 notas)
ceia (50 notas)
1 taça de sorvete diet (40 notas)
½ pires de chá de morangos (10 notas).

Outros famosos que fazem a Dieta das Notas
Crédito: Boa Forma


Fátima e William são adeptos desta dieta. A apresentadora que adora arroz com feijão gosta de incluir lanchinhos em sua dieta, e uma das opções da apresentadora é o pãozinho sem miolo.












Crédito: Boa Forma




Atualmente Patricia come 800 notas diárias para a manutenção do seu peso, a quantia ideal para o seu 
1,72 m.
Mas no começo comia 600 notas e adotou a lei da compensação, ao tomar um prato de sopa de legumes ou grelhado por exemplo, se dá ao luxo de comer uma sobremesa, as preferidas são brigadeiro, chocolate e pavê. E garante, “quando o assunto é doce, tudo agrada”.






Ciganos - Ainda sem documento, povo é Invisível

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Crédito: Agência Brasil

Há mais de 400 anos no Brasil, o povo cigano ainda combate velhos preconceitos e luta para ter a cultura reconhecida. A estimativa é que existam cerca de 1 milhão de ciganos no país – a maioria é analfabeta e  não tem acesso a serviços públicos. 

Ao visitarmos um acampamento de ciganos em Cerro Azul PR, cidade localizada a 108 Km da Capital Paranaense Curitiba, encontramos um povo receptivo, estavam felizes com a nossa presença ali.
Mulheres de saias rodadas e coloridas, dentes de ouro, alguns com desenhos exóticos. Histórias de vida, de força e simplicidade foi a imagem que transpareceu em nossa visita.
Crédito: Agência Brasil

Conhecer a cultura deste povo, nos dá a responsabilidade de ajudá-los neste processo de inclusão ao qual estão vivendo. 
Cláudio Iovanovitchi (Presidente da Associação de Preservação da Cultura Cigana) nos fala um pouco sobre a origem do povo cigano, apesar de não haver um consenso; essa é a versão mais aceita: Aponta que esse povo nasceu no Norte da Índia, na região onde hoje está o Paquistão, por volta de 4 mil anos atrás. A partir dali, se espalharam pelo mundo, seguindo a crença de que sua pátria é o lugar onde estão os seus pés.

Vivendo em tendas homens, mulheres, e crianças, a situação é precária. As tendas são montadas com lonas, e o chão é de Terra. Em uma das tendas notamos a presença de uma horta com cebolinhas, e de um peru que futuramente será usado em umas das refeições da família.

Crédito: Agência Brasil
Os ciganos não possuem RG, CPF, ou qualquer documento que comprovem a sua existência, alguns não sabem nem a cidade onde nasceram (por terem uma vida nômade).
Nos acampamentos ciganos um de seus lemas é: “O tempo é uma ilusão”. Não comemoram datas festivas, nem mesmo os aniversários. (Pois não sabem o dia de seus nascimentos).
A falta de documentos dificulta o acesso à postos de saúde, hospitais, escolas e a colocarem bens em seus nomes. Os ciganos enfrentam também o preconceito, são taxados como falsos, ladrões que roubam crianças.
As únicas formas que lhes restaram de sobrevivência são a venda de raízes, cavalos, utensílios domésticos e agora estão negociando também carros. As mulheres leem mãos: ”é tudo o que nos restou, os ciganos também têm necessidades, como qualquer outro cidadão”, diz Iovanovitchi.

O Brasil abriga hoje em torno de um milhão de ciganos. No governo de Lula o presidente os chamou para uma conversa afim de ouvir o que eles têm a dizer, começando assim as práticas de inclusão.
Com isso o Brasil saiu na frente de outros países adotando tais medidas. Diferente por exemplo da França que na época foi palco da expulsão de 700 ciganos e búlgaros com a alegação de viverem ilegalmente no país. No Brasil também eles ganharam por decreto o dia nacional do cigano que é no dia 24 de maio.
Uma história destas que a gente só escuta de ouvir falar, mas nunca do próprio relator, é a história de seu Walcyl, que descobriu depois de uma vida inteira ser cigano. A mãe no leito de morte lhe contou este segredo. Aos 40 anos de idade descobriu sua verdadeira origem, hoje jornalista esportivo, luta ao lado de Claudio Iovanovitchi, representando o seu povo junto ao governo federal.

E muitas outras histórias nos foram relatadas: De pessoas que se apaixonaram por ciganos e largaram tudo para viverem como nômades ao lado de seus amores.
No Brasil já é um fato, que este povo hoje contabiliza em torno de um milhão de habitantes, não permitindo mais que estejamos indiferentes. É necessário respeitarmos seus direitos como cidadãos, criando políticas públicas e adotando medidas de inclusão.
Uma receita é a empatia, se colocar no lugar do discriminado, conhecer a história e a cultura é o primeiro passo. Muitos de nós só ouvimos falar dos ciganos e vamos repassando a ideia do senso comum, e fazemos o famoso telefone sem fio. Somos todos cidadãos que desejamos ser aceitos, sejamos o primeiro a incluir.



Veja alguns ciganos famosos:

Com mais de 50 milhões de discos vendidos, Benito nasceu em Nova Friburgo (RJ), no dia 28 de novembro de 1941.
Pianista, cantor e compositor Benito é um dos grandes nomes da canção nacional dos anos 70, seu estilo musical é conhecido como "samba joia", ao combinar o samba tradicional com piano e arranjos românticos e jazzisticos.





Juscelino Kubstchek nasceu em 12 de setembro de 1902 em Diamantina (MG), foi médico e político brasileiro.
Conhecido com JK, foi prefeito de Belo Horizonte entre 1940 à 1945. Governador de Minas Gerais de 1951-1955 e presidente do Brasil de 1956 à 1961. Sua mãe Júlia Kubstchek tinha a etnia cigana.








Washington Luís nasceu em 26 de outubro de 1869 em Macaé (RJ), além de advogado, historiador Washington foi a primeira personalidade brasileira de origem cigana a governar o Brasil. Descendente da etnia Kale/Calon ele foi presidente de (1926-1930).
  











Charles Chaplin também pode ter nascido em uma família cigana, sua mãe Hannah era descendente de ciganos.
Especulações revelam que ele pode ter nascido em uma caravana intitulada de “Rainha dos Ciganos” em Black Patch, uma próspera comunidade cigana em vez de Londres.






Manfried Sant'Anna, mais conhecido como Dedé Santana nasceu no dia 9 de maio de 1936 em São Gonçalo (Rio de Janeiro). De família cigana, ele foi criado nos picadeiros, sua mãe era contorcionista e seu tio o humorista Colé Santana.











Fred Alecrim fala nesta entrevista algumas das principais tendências em gestão e operação de varejos

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Há mais de uma década o Brasil participa de forma expressiva da Feira Nacional de Varejo promovida pela National Retail Federation (NRF), a associação nacional do varejo norte-americana, realizada em Nova York há mais de cem anos.
O evento, também chamado de NRF, teve sua 102°edição, realizada no começo deste ano. Os participantes tiveram acessibilidade à seminário, fórum, apresentação de cases de empresas mundialmente conhecidas, além de exposição de produtos e tecnologias de última geração para o setor varejista.
Com 12 anos de experiência no varejo, o executivo Fred Alecrim é administrador, consultor e palestrante e foi um dos participantes da feira em Nova York.
Seu trabalho, livro on e offline mais um pouco de sua longa carreira no ramo varejista pode ser conhecida no site www.fredalecrim.com.br. Veja nesta entrevista algumas das principais tendências em gestão e operação de varejos identificados por Alecrim.
Ao longo de sua carreira, Alecrim vem atuando também em treinamentos de profissionais do varejo, tendo já conduzido palestras e workshops para algumas das principais varejistas atuantes no Brasil.
Alecrim é graduado em Administração de Empresas, especialista em Marketing e Gestão Empresarial, em Pedagogia Empresarial Estratégica e é Certificado em Social Media Marketing e Content Marketing. 






As pessoas sabem vender ou aprendem?
Alecrim |Existe vocação, há pessoas que conversam melhor que outras e que são melhores com relacionamentos, e isto ajuda.
As que não têm, podem aprender. Eu acredito que hoje ninguém vende mais nada para ninguém, podemos inspirar o cliente a comprar. Porém é preciso construir uma base de bons relacionamentos para atrair mais pessoas a comprar.
É importante que o cliente goste de você e saia falando bem. Ele precisa ser inspirados pelos canais de contato, sejam eles online ou off-line.
É necessário saber o que ele quer, não só em termos de serviços, mas também de orçamento.

Onde os varejistas mais estão falhando?
Alecrim | Eu não diria que os varejistas estão falhando. Mas um ponto que precisa ser mais trabalhado, e é uma tendência para a vida toda, é o fator gente. [É preciso] investir na contratação, na capacitação, no reconhecimento e na recompensa de pessoas. Como varejo é relacionamento, é preciso ter as melhores pessoas. Este deve ser um dos pontos primordiais de foco constante. É o dono cuidando bem de seu gerente, para que ele também cuide do seu vendedor e este, do cliente.  

Como especialista em varejo, os brasileiros estão fazendo a lição de casa?
Alecrim | Estão cada vez melhor. O brasileiro está evoluindo bastante nestes aspectos. Já temos até algumas empresas que são referências no varejo, em como operam as suas lojas, as suas pessoas. Tenho acompanhado como o varejo brasileiro está evoluindo.
De uns anos para cá, temos visto palestrantes e cases de empresas brasileiras na própria NRF. Se este espaço está sendo conquistado é porque temos o que mostrar. Já não vamos para lá só para aprender com eles, mas para mostrar um pouco do que estamos fazendo aqui no nosso País.

Qual é o caminho para se destacar no varejo?
Alecrim | Hoje é fundamental entender que a relação com o cliente não é só mais dentro da loja, existem novos canais, e o que a empresa precisa é ter pontos de contato consistentes com os clientes. E ter funcionários bons se relacionando com estes clientes para que possam escolher onde preferem se relacionar com a marca.

O senhor fala muito sobre gestão GPS, o que significa isso?
Alecrim | Tenho estudado muito a respeito disto, e empresas bem sucedidas tendem a trabalhar estes fatores. Gestão GPS significa Gente, Processo e Sistemas. Gente, em todos os casos, é o fator mais importante, se eu tenho gente boa, consigo ir mais rápido. Consigo conquistar clientes e construir uma reputação boa para a marca. Isto é obtido com boas ideias e as ações do dia a dia.
Em seguida, as pessoas trabalham juntas no Processo, que é o segundo ponto. Os processos precisam existir e precisam ser simples, para que todos entendam rapidamente. Precisam ser escritos, porque caso contrário cada um fará de um jeito. Precisam ser atualizados constantemente porque o varejo muda muito. Seja o processo de compra, de venda, atendimento, ou de recrutamento e seleção, se estiver ultrapassado, não vai mais ajudar a empresa em sua evolução.
O terceiro aspecto são os sistemas e softwares. Os sistemas devem trabalhar para ajudar a empresa e as pessoas a terem as informações dos dados e das tomadas de decisões. É preciso entender o que está indo bem e o que não está por meio destes sistemas de gestão da empresa, para que as decisões não sejam tomadas com 'achismo', mas em cima de dados concretos.
Os blogs, o facebook, o twitter e os dispositivos móveis podem, além de ser um meio de informação, ser um meio de relacionamento e vendas. É importante cuidar destes três processos no varejo para que a marca cresça.

Existe um meio ideal que as empresas podem adotar para ter uma comunicação com o seu público?
Alecrim | É preciso ter bem definida a estratégia do negócio. O site e a rede social vão trabalhar para auxiliar a estratégia que já existe. O que deve ser pensado é que não se cria uma estratégia para as redes sociais à parte, ela deve fazer parte.
E ela não deve ser presa em uma ferramenta em si, não pensar que tem que ser o Facebook, o Twitter ou qualquer outro. Ela deve ser aquela que se encaixa melhor no perfil de cada empresa.
Não é porque o seu concorrente está utilizando um determinado meio que você deve utilizar também. Só deve fazer isso, se fizer parte da estratégia da sua empresa. É importante lembrar que o primeiro passo é construir, e em seguida é preciso desenvolver o relacionamento. O mais difícil é atrair as pessoas. Para isso é preciso gerar conteúdo relevante, porque as pessoas só vão até algum meio de comunicação se isso interessar a ela.

Por Franciele Vargas*
Fonte: Móbile Lojista 294, Página 44. Janeiro/Fevereiro 2013.

Sugestão de Livro - Você quer ser um milionário?

sábado, 14 de setembro de 2013

Você quer ser um milionário?

O livro de Clat e Maske Scott Martineau,  foi escrito pela própria experiência dos autores, que vislumbravam liberdade empresarial. É dividido em quatro partes e desmembradas em seis estratégias desenvolvida pelos autores: capital emocional, disciplina, otimismo, independência empresarial, centralização, follow up e automação.
Com o livro, o empreendedor poderá encontrar direcionamentos voltados a evitar retrocesso ao caos, a ganhar mais dinheiro e a guiá-lo na direção da liberdade, e, assim, a realizar ajustes positivos tanto em sua empresa quanto em sua vida pessoal, tomar o controle de sua situação e atingir seu propósito.


Título: Você quer ser um milionário?
Autores: Clate Mask e Scott Martineau
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 210
Informações: (11) 3392-3336
Preço Sugerido: 29,90


TRÊS TIPOS DE PESSOAS

domingo, 8 de setembro de 2013


Foto: Divulgação Comunhão Cristã Abba.
O pastor Pio Francisco de Carvalho é formado em Administração de empresas com mestrado em Administração (Atlanta-Georgia –EUA) e doutorado em Teologia pela “Latin University of Teology” da Califórnia (EUA). É membro do International Leadership Institut, sendo o responsável pelos ensinamentos do instituto nos países de fala portuguesa, como África, Timor Leste, Canadá e Portugal.

Texto: Pio Carvalho

A vida é feita de desafios diários, e cada pessoa encara estes desafios de uma forma. A Administração têm uma linha de estudo que define TRÊS perfis de pessoas, baseando-se em estudos de comportamento.

1-AS QUE FAZEM AS COISAS ACONTECEREM

Concentram sua mente em NOVAS ideias, novas alternativas para fazer a mesma atividade e ainda novas possibilidades para diversas áreas.
Pessoas com este perfil, olham algo que é feito do mesmo jeito a muito tempo, avaliam, pesquisam, buscam, reinventam o processo, estudam possibilidades de melhoria, enfim, FAZEM as coisas acontecerem.
Empreendedores, Executivos e ainda Milionários, são exemplos de pessoas que agem desta forma. Não são o que são pelo que possuem, mas porque pensam de forma proativa e inovadora.
Eles sabem quem são, tem objetivos claros, tem relacionamentos fortes e estruturados. Respeitam as pessoas, elogiam com facilidade e sabem que são mais poderosos do que o dinheiro que possuem.
ESTAS SÃO AS QUE FAZEM.

2- AS QUE OBSERVAM  as coisas acontecer – São pessoas que estão “por dentro” de tudo o que acontece. Possuem informações, mas não sabem utilizá-las para seus projetos.
Este grupo comporta-se como EXPECTADORES, têm um pensamento mediado frente a vida, não buscam mudanças ou inovações, ou seja, são conformados. Gastam muito tempo falando sobre coisas, e as observa enquanto elas acontecem.
É raro, este perfil de pessoas falar sobre ideia, inovação, processos, expansão de negócios. Preferem falar sobre coisas e outras pessoas.
Deixam assuntos sem valor tomar conta de sua mente. Mudam muito os relacionamentos, não tem amizades douradoras, raramente elogiam, mudam muito de projetos e não trabalham com prazos.
ESTAS SÃO AS QUE OBSERVAM.

3- As que DIZEM o que aconteceu – Ainda temos as pessoas que não se envolvem nem no ato de observação, buscam em outros a avaliação pronta, uma das perguntas frequentes é, o que aconteceu?
Este grupo têm uma mente “pobre”, é totalmente o oposto do primeiro perfil das pessoas que fazem.
Podemos afirmar que a pobreza econômica está ligada com a pobreza emocional e intelectual. Por exemplo, falar mal das pessoas pelas costas, é sinal de imaturidade e ignorância.
A pessoa que tem uma mente “pobre” nunca elogia, gosta de fofoca, assiste muito televisão, sempre diz que está cansado e sempre quer trabalhar menos.
Esse grupo de pessoas foca as tarefas e não os resultados, (Ex: Fiz o que você mandou). Pensam que o dinheiro é a solução para tudo. (Ex: Ganhadores de loterias).
ESTAS SÃO AS QUE DIZEM.

COMO DEVEMOS AGIR, AVALIANDO ESTES PERFIS?

a)    Reserve um tempo para sonhar. Comece a perguntar a si mesmo, como isso pode ser feito. Encontre a melhor forma para alcançar resultados.
b)    Mude seu linguajar, a palavras impossível, troque por possível. Não posso, troque por, eu posso. Estou cansado, troque por, estou disposto. Não confio, troque por, eu confio. É difícil, troque por, é fácil.
c)    Pare de reclamar. As reclamações sempre estão ligadas a pessoas, isso mostra que você não está pensando em ideias e em soluções. O que nós falamos constantemente desenha o nosso futuro. A boca fala daquilo que o coração está cheio, disse Jesus.
d)    Veja os problemas como oportunidades, e não como bloqueios para sua caminhada. Isso gera novas ideias.







Mulher Gato dos Móveis

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Sylvia tem uma agenda bastante corrida, a empresária além de ministrar palestras pelo Brasil ensinando as pessoas a vender, também era uma das contratadas do programa “Escolinha do Gugu, pela Rede Record de Televisão. No programa ela fazia o papel de “Dona Sylvia”, o que segundo ela, ajudava a divulgar suas lojas.

Sem medo de desafios – é o que melhor define Josefa Adecilda, mais conhecida como a mulher gato dos móveis - um exemplo atípico de empreendedorismo. Com apenas R$ 8 mil de capital ela montou sua primeira loja em 2002 na capital paulista.
Passados 10 anos, Sylvia hoje, com seis lojas, é um exemplo de sucesso. No ano passado a empresária lançou um livro contando toda a trajetória de sua vida. De menina pobre que saiu do Ceará aos 14 anos, e dos desafios vividos que enfrentou quando chegou a São Paulo para cuidar da sobrinha para a irmã que passava por um problema de saúde.
Com R$ 8 mil de capital Sylvia alugou um lugar para colocar seus móveis, na época consignados e fez um letreiro com o nome da loja.

Com a experiência acumulada e muito conhecida por fabricante não faltou quem lhe confiasse crédito, com uma loja cheia de móveis, e uma dívida enorme, a jovem empreendedora conta que era necessário apostar alto, tentar o que ela chama de tudo ou nada.
Acreditando que para vender é preciso “aparecer” fez um contrato com o canal de TV Shop Tor, com o dinheiro das vendas dos móveis do primeiro mês ela pagou a mídia. Mas a empresária foi além, no canal achava as propagandas todas iguais e resolveu que era necessário apresentar um cenário novo.
Com isso em mente, para chamar a atenção, começou a se fantasiar de Emília, depois de Mulher Maravilha, o figurino se estendeu a Rebeldes e finalmente Mulher gato. “A mulher-gato aparecia na loja e o espaço ficava cheio, lota até hoje, porque ela é diferente, sensual, ousada, todo mundo gosta, quando estou vestida, eu escuto muito na loja: “Miau”.
“120 dias foi o prazo que os fornecedores me deram, mas em 30 dias paguei toda a minha dívida”, conta orgulhosa. 
Uma das táticas para o sucesso nas vendas acredita, é ter senso crítico e aprender com os erros. Ouvir o que os colaboradores têm a dizer, “é eles que ficam o dia a dia com os clientes, sempre acabo aprendendo novas manhas com eles”, revela a empresária.
Trabalhar no comércio é ter que vencer desafios constantemente, e algo que todo profissional não deve descuidar é de buscar conhecimento todos os dias, estar antenado. “Hoje os clientes são muito exigentes, por isso tenho um diretor comercial que vai direto para as feiras, na China, Alemanha, estamos presentes em todas buscando as novas tendências e modelos exclusivos” conta Sylvia.

A receita para vender – A mulher gato conta que consegue vender tanto porque é uma pessoa humilde, fato que acredita ter feito com que caísse na graça das pessoas. Com carisma é possível atingir todas as classes sociais.
Qualquer um consegue vender, isto está no sangue de todos nós, em algum momento qualquer profissional de outras áreas precisam exercitar o dom da venda. O dentista, o advogado, um jornalista, todos precisam vender seu trabalho.
Uma das táticas também é qualificar os funcionários, colocar cotas para atingirem, e ao alcançarem, fazer a distribuição de prêmios. “Eu sorteio veículos para o primeiro e segundo lugar dos vendedores de toda a rede, também motos e TVs, como um meio de incentivar meus colaboradores”.
Pessoas que querem trabalhar em alguma das lojas da Sylvia, precisam ser determinadas e como regra não podem fazer acepção de pessoas, os clientes que chegam em um Fusca ou Porsche recebem o mesmo tratamento.
Outra exigência é conhecer os termos técnicos dos produtos expostos, pois isto também ajuda na hora da venda. O vendedor precisa saber falar sobre as utilidades do que ele esta ofertando, garantias e as vantagens que o cliente terá em adquirir determinada mercadoria. “Meus funcionários passam por esses treinamentos para conhecer os produtos, o tecido, a espuma, o material. Aqui é obrigatório saber tudo” enfatiza Sylvia.
A venda dos Livros Lançado no ano passado 2012, o livro é de autoajuda. Nesta edição Sylvia abordou a infância pobre e o amor que têm pela família. “Estamos vendendo muito, as pessoas estão se identificando com o livro, talvez por ser de autoajuda, eu escuto muito: “Sylvia Design, estou amando o seu livro, Sylvia eu vou ser você amanhã, Sylvia Design, vou ser melhor do que você”. E isto é muito gostoso. Toda semana o livro estava esgotando nas livrarias.
Para este ano de 2013, a empresária promete outro lançamento, que segundo ela vai ser bem diferente, totalmente ousado, “falando da minha
vida como empresária, como mulher, da esposa, da atriz, vai ser um livro como o “50 Tons de Cinza”. 

Jornal Francês divulga que brasileiro é povo que mais gasta com perfume

terça-feira, 3 de setembro de 2013

É isto mesmo, o Jornal Lé Monde da França, publicou uma matéria no último dia 25 de julho, falando sobre o mercado em potencial que o Brasil se tornou para a venda de cosméticos e trouxe dados comprovando a expansão.
Segundo o jornal, entre os anos de 2006 e 2011, o aumento de produtos de depilação foi de 299%, os produtos cosméticos em 281%, proteções solares em 230%. E o Brasil bateu recorde como primeiro país no mundo em vendas de desodorantes, com 12%, colocando o país como o povo que mais gasta com perfume. Um brasileiro chega a gastar em média para a compra de produtos de higiene pessoal, cosméticos e perfumaria por ano, a quantia de R$ 600 reais.

E se o mercado de cosméticos está crescendo no Brasil, na outra ponta estão os varejistas e lojistas mostrado seus produtos, além das lojas físicas às on-line tem se destacado.
Isto porque o mercado tem conquistado cada vez mais espaço nos últimos anos, e vários são os fatores que contribuem para que os consumidores façam compras pela internet. Com a vida cada vez mais corrida nos grandes centros, é comum que as pessoas busquem mais praticidades no dia a dia. A fim de driblar horas no trânsito, filas nas lojas físicas e a demora em conseguir um estacionamento para deixar o carro, podem ser alguns dos exemplos.
Só este ano em comparação com 2012 o aumento nesta modalidade de compra deve chegar a 25% a mais, de acordo com uma previsão da e-bit, empresa especializada em informação do setor. O crescimento da classe C deve contribuir para o aumento nas vendas e faturamento do setor, isto porque 56% dos entrantes nesta modalidade de compra pertencem a este grupo.

O Data Popular divulga a dimensão do potencial de compra deste público, o instituto projeta que, até 2014, a classe C será representada por 58,3% dos brasileiros e a D, por nada menos que 26,8% da população.
Fator que têm feito com que empresas de variados setores olhem de forma diferente para este novo público, que vem emergindo com grande poder de compra.


Sinta a fragrância – Os aromas podem nos trazer a lembrança de vários momentos no decorrer da vida. Sentimos nossa mente viajar no passado enquanto exalamos um perfume que em alguma época de nossa vida ficou marcado por algum episódio ou pessoa. Então ao comprar um perfume, lembre-se que este é como um cartão de visita que revela parte da sua identidade, e você sempre será recordado pelo cheiro que escolheu ter.






 

 


 

 
Histórias que Inspiram © Copyright | Template By Mundo Blogger |